O dia que você acordou

7.1.19


Sunrise up in the clouds                                                                                                                                                                                 More

(leia o texto escutando a música abaixo)

Um dia você acorda e, por alguma razão qualquer, percebe que é preciso escolher entre ser ou sentir, entre estar ou deixar ir, entre ser paz ou permanecer no caos. Você percebe que precisa escolher entre ser imensidão pra você mesma ou ser solidão tentando ser pra alguém. E você escolhe ser pra você, só pra você.

E você finalmente entende que romantizou muito a vida, dedicou tempo demais decorando o caminho, um caminho que nunca existiu, um caminho que te levou direto ao seu caos interior. Você dedicou tanto tempo em manter o caminho colorido cheio de flores e expectativas vivas, que esqueceu de manter a sua luz própria acesa. E foi se apagando, aos poucos, a cada dia, a cada flor que murchava, a cada tentativa frustrada... 

Agora pode parecer que foi num piscar de olhos que você acordou, que simplesmente o sentimento precisou deixar de ser, mas na verdade a estrada foi longa até chegar aqui. Foi uma estrada cheia de pedras e espinhos, mas você só conseguia enxergar as rosas, se distraia com as flores e o cheiro que encantava o seu corpo inteiro. Quando foi que você se viu sozinha achando que ainda estava acompanhada? Talvez você não saiba, mas caminhou durante muito tempo nessa estrada estranha e perigosa disfarçada de felicidade, e não foi por falta de aviso que você se deixou enganar. 

Talvez o erro tenha sido se permitir viver um sentimento que não deveria existir, e acreditar que poderia dar certo. Talvez o erro tenha sido acreditar demais, ou persistir lutando sozinha pra que desse certo. No fim, você se desgastou demais numa guerra contra você mesma. E agora, com o coração estilhaçado, você acordou. Acordou querendo juntar todos os pedaços por você mesma. Acordou querendo ser a sua própria imensidão, o seu próprio brilho, o seu próprio caminho.

E todo esse sentimento não teve nenhuma influência maldosa, nessa história não teve nenhum culpado, não teve um certo e um errado. Alguns sentimentos simplesmente tomam proporções maiores do que deveriam ter, fogem do controle, te iludem e fazem criar expectativas. Alguns sentimentos são traiçoeiros, trazem um falso conforto até você não conseguir mais seguir em frente sem ele. E aí mora o perigo, a falsa sensação de bem estar que te leva a agir de maneiras que contrariam tudo o que você acredita. 

Um dia, quem sabe, toda essa experiência sirva de lição para se permitir sentir, mas sentir de uma forma mais madura, se entregando de forma segura, sem deixar de ser a sua paz. 














You Might Also Like

1 comentários

Seguidores

Google+